segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Fotos da Disfarce!

Enfim, as fotos da primeira Disfarce - Festa à Fantasia que rolou no Vecchio Giorgio no dia 06 de agosto - estão online! Você pode acessá-las pelo flickr [http://www.flickr.com/photos/disfarceparty/] ou vê-las no orkut da Disfarce Fantasia. Obrigado a todos que compartilharam esse momento conosco. Esperamos vocês nas próximas edições da festa aonde você pode ser quem você quiser!





quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Ganhe 2 pares de Vips para Disfarce!

Quer concorrer a 2 pares de vips para Disfarce - festa à Fantasia, nesta sexta [6 de agosto] no Vecchio Giorgio? O sorteio será realizado exclusivamente pelo twitter. Então, é só seguir direitinho as regras a baixo:

- Para participar você tem que seguir o nosso twitter: @disfarceparty
- Só valerá UM RT por conta no twitter;
- Para concorrer é necessário twittar "Eu quero ganhar um dos pares de vips que a @disfarceparty esta sorteando para a festa de sexta no @vecchiogiorgio http://migre.me/12x9W"
- O sorteio será feito hoje [06 de agosto], no final da tarde;
- Quem não seguir qualquer uma das regras será desclassificado;


Boa Sorte!

XX


quarta-feira, 4 de agosto de 2010

LINE UP: Tiago Franco



Como surgiu a ideia e o nome da festa?
O nome veio daquele boom do electro no Brasil, um híbrido de rock e música eletrônica. A maioria das músicas daquela época tratavam de temas perversos e libidinosos, o que nos inspirou pra chegar a esse nome.

Onde foi realizada a primeira Devassa?
Em uma sinuca na Lagoa, um lugar bem inusitado onde não rolavam festas. O clima era bem tosquinho, escuro, underground... É claro que a estrutura era precária, mas naquela época éramos bem jovenzitos e o que importava era se divertir, o local não importava muito, desde que parecesse subversivo.

Desde o início teve o perfil de itinerante? Quais os lugares mais bacanas onde já foi realizada e as bandas mais significativas?
Sim, sempre transitamos por diferentes locais e situações - dos mais glamourosos aos mais xexelentos - e é ótimo fazer o público oscilar entre o tudo e o nada, conhecer lugares novos e tirar desses locais novas experiências de noite. Gostei muito de uma Devassa no Sins Pub (que hoje não existe mais), da que aconteceu neste carnaval no Bianco, de uma no domingo à tarde no Iate. As bandas e projetos mais legais que já tocaram foram Bonde do Rolê, Boss in Drama, Copacabana Club, Cansei de ser Sexy, Database, Killer on the Dancefloor e uma série de DJs incríveis.

A Devassa tem um público super fiel. A opinião dessas pessoas influencia na hora de escolher o local da festa?
Muito. Sempre ouço a opinião das pessoas, acho que o feedback do público é o mais importante, afinal são eles que vão consumir aquilo que é proposto.

Você tem uma forte relação com a música, trabalha como DJ em diversos eventos e organiza outras festas. Como é a escolha das bandas ou DJs que tocam na Devassa? Você trouxe para Floripa bandas como o CSS e o Bonde do Rolê antes mesmo de elas conquistarem o público europeu. Você procura por novidades, analisa tendências de som?
Ouço mais por prazer do que por exercício de trabalho. É delicioso ouvir música nova e fazer apostas em novas bandas e DJjs e acompanhar o que tem saído de novo, mesmo porque com a velocidade da informação, deixar de se atualizar é opção ou preguiça.

A Devassa é uma festa diferente na noite de Florianópolis e, talvez, dentro do estado, com outro tipo de som e público, em comparação à maioria das outras 'baladas' da ilha. Nesses 06 anos,você percebe alguma diferença no público? Atraiu pessoas de outros estilos?
Acho que a Devassa amadureceu e em paralelo a isto o seu público, que hoje não é mais tão jovem quanto há seis anos, é mais aberto a pessoas de outros estilos. Muita gente casou, foi embora, se formou... Pessoas somem, outras aparecem. Apesar desse dinamismo da noite, quem pode continua freqüentando a festa.

Como começou a parceria com a revista Catarina?
O primeiro contato com a revista foi através de uma entrevista. Depois as coisas aconteceram naturalmente, fomos nos identificando até o momento em que resolvemos oficializar nossa parceria.

O que não falta no seu set list?
Uh, Lady Gaga! (risos) No meu set tem de tudo, de Ramones, Donna Summer ao último hit do electro, depende do humor e do momento.

O que você ouve quando não está trabalhando?
The Cure, Bolshoi, Foals, The Cars, Frank Sinatra, Maria Bethânia, David Bowie... Um pouco de tudo.

Quais as próximas bandas ou DJs que vão estourar segundo Tiago Franco?
Devemos prestar atenção em: Gold Motel, Jupiter, Karen Welson, Tame Impala, The Phenomenal Handclap Band, Mayer Hawthorne, Pixelman, Moulinex, Yolanda Be Cool, Foals, Tesla Boy, Caribou, Canyons, James Curd, Bonobo e uma infinidade que ficaria o dia todo listando.


*Entrevista feita para o blog da Revista Catarina, em relação a 26ª edição da revista e comemoração do aniversário de 06 anos da Devassa. Para ler na íntegra, clique aqui.




domingo, 1 de agosto de 2010

Desconto na fantasia

Imprima esse convite e apresente na loja Disfarce e ganhe desconto de 10% na locação de sua fantasia.




quinta-feira, 29 de julho de 2010

Inspire-se! #2


Para você que está pensando em uma fantasia digamos, mais refinada, pode inspirar-se no famoso editorial da revista americana Vogue, no qual Natalia Vodianova encarna Alice ao lado de estilistas como Jean Paul Gaultier, Marc Jacobs, Karl Lagerfeld, John Galliano e Tom Ford.







quarta-feira, 28 de julho de 2010

LINE UP: Fernanda Almeida - Lady Gaga Performer


Transcrevemos aqui uma entrevista feita com Fernanda Almeida, que nas noites se transforma em Lady Gaga e, é uma das grandes atrações da Disfarce - Festa à Fantasia, que promete colocar todo mundo para dançar e se divertir! A entrevista foi feita no verão por Cássia Guerra para o blog Acho Conceitual.

AC – Oi Fernanda, você é estudante de Moda de dia e na noite se transforma em Lady Gaga. Da onde veio a vontade de trabalhar com Moda, e o que todo mundo se pergunta: de onde surgiu a idéia de ganhar dinheiro sendo performer da Lady Gaga?

Meu desejo por trabalhar com moda surgiu a partir da minha busca de encontrar meu estilo próprio. Não encontrando as roupas e acessórios que eu queria, desenhava e, algumas eu mandava confeccionar na costureira, e customizações eu mesma fazia.

Quanto ao meu trabalho como performer, surgiu de uma brincadeira. Na época que a Lady Gaga surgiu, eu já era loira e me vestia de forma extravagante (Não tanto quanto ela!). Nas baladas GLS, as pessoas me cutucavam e diziam “Linda! Tu parece muito com a Lady Gaga!”. Então a Lady começou a fazer mais sucesso e aparecer mais nas baladas. Toda vez que tocava, o público pirava e me empurrava para o palco. Desde pequena sempre gostei de estar no palco, então não foi difícil eu subir. Um dia, depois de umas das edições do Donna DC, fui para a balada vestida inspirada na Lady Gaga, com um laço branco na cintura e um na cabeça. A partir daí não parei mais. No início não recebia nada pelas apresentações, era somente paixão pela dança, moda e música. Com o tempo fiquei conhecida e comecei a ganhar com isso.

AC – E onde você começou a trabalhar na noite de Floripa – Qual foi a primeira festa?

O Jivago Lounge foi onde a Lady Gaga Performer nasceu. Tenho uma paixão pela casa que me deu a oportunidade de aparecer nas noites de Floripa.

AC – Acredito que para trabalhar com isso tem que ter um perfil bem desinibido. Você sempre foi assim ou teve que trabalhar esse seu lado ao longo da carreira de performer?

Desde criança eu gostava de participar de tudo que eu pudesse subir no palco. Desde gincanas, concursos de dança, coral da igreja (Sim! Já participei do coral da Igreja.), peças de teatro da escola, etc. Com todas essas experiências me tornei uma pessoa mais extrovertida e desinibida, porém cada público é diferente e você precisa estar preparado com as reações adversas e, além disso, saber o que fazer para agitar a pista, independente da música que estiver tocando e do tamanho do palco, que na maioria das vezes, mal da para se mover.

AC – Dá para perceber que seus figurinos são bem elaborados. Rola um estudo aprofundado sobre a famosa Lady Gaga, tanto de vestes quanto de trejeitos e modos de se portar? Estudar Moda ajuda nessas questões?

Esse estudo baseia-se em coletar informações e fotos de editoriais, shows, videoclipes, blogs, sites, jornais, tudo que cita o nome “Lady Gaga”. A partir daí é feita uma análise onde as informações são filtradas e adaptadas. Estudar moda auxilia a compreender melhor o que tem por trás de cada figurino, pois uma simples peça de roupa se transforma e pode falar muito dependendo do contexto em que esta se encontra.

AC – Como é que você faz para confeccionar os figurinos? Você mesma desenha e costura?

Nenhum figurino é simplesmente uma réplica dos trajes que a Lady Gaga usa. São a união do estudo feito sobre Lady e as experiências vividas por mim e pelo meu amigo Maurício Magagnin. Alguns são pedaços de tecidos (Na última apresentação foi utilizado plástico) montados no próprio corpo com alfinetes, fita dupla-face e/ou grampos; outros são achados em lojinhas escondidas; alguns são desenhados e mandados para a costureira confeccionar. Tudo depende de como é imaginado o traje final, que nem sempre acaba sendo aquilo que foi pensado, e do que temos a disposição. As moulages e acessórios são feitos, em grande parte, pelo meu amigo Maurício Magagnin, que é estilista da Kotzias.

...
[para ler a entrevista na integra acesse o blog]


.
Venha você também! Seja quem você quiser!


terça-feira, 27 de julho de 2010